Olá amooreeesss,

E esse tempo cada vez mais veloz? Mais uma vez é tempo de Bienal do livro. Esse ano aqui em SP.

A 25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo acontecerá de 03 a 12 de agosto de 2018 no Pavilhão de Exposições do Anhembi.

O evento é palco para o encontro das principais editoras, livrarias e distribuidoras do país, apresentando seus mais importantes lançamentos para aproximadamente 700 mil visitantes em um espaço total de 85 mil m².

Além da grande oferta de livros, a Bienal do Livro ainda conta com uma programação cultural abrangente, mesclando literatura, gastronomia, cultura, negócios e muita diversão!

Eu já me programei para ir dia 4, um sábado. E já estou anotando tudo o que eu quero fazer haha. Quero ver vocês lá!!

A minha última Bienal, foi bem tranquila, with no stress, bem zen. Esse ano eu vou com as meninas do Clube LiteraSorocaba. Yay!!! E espero que seja de boas também.

E vamos as nossas dicas anuais , que quem acompanha o blog já deve ter decorado.

1º CHEGUE CEDO
Sim , porque se você ainda não comprou seu convite vai ter que enfrentar uma filona básica , dependendo do horário nem tão básica assim, e depois tem outra para entrar, essa é mais rápida mas não deixa de ser uma espera. Uma dica é comprar antes o ingresso ;)
Além disso se você chega mais tarde, acaba perdendo um bom tempo que já poderia estar lá dentro.E outra de manhã você ta mais disposto a bater perna, visitar estandes, conhecer pessoas, e não está tão tumultuado como a tarde, que é a hora os autógrafos e das filas!!
Se bem que nas últimas tende a estar tumultuado o dia todo haha
2º ALIMENTAÇÃO
Sim, esse é um dos pontos que eu sempre fico com o pé atrás. É muito caro comer na Bienal, a fila é imensa, o atendimento é precário, alguns alimentos são intragáveis então, um conselho, leve um pacotinho com frutas, barrinhas de cereais, chocolatinho pra dar aquele UP e afins para comer. E água. É sério. Teve um ano que acabou a água, e várias pessoas se viraram como podiam. Tensíssimo!!
3º SE PROGRAME

A pior coisa que tem é chegar lá e esquecer os horários das coisas que queríamos ver, ou dos autógrafos. Sério, a Bienal tende a tirar os bookaholics do eixo, deixando a gente maluquinho, querendo fazer tudo, e no fim perdendo algo que queríamos realmente fazer. Por isso Anote tudo, faça uma comparação de horários e não perca nada.
A própria Bienal disponibiliza um app para nos ajudar. Dá um pulo lá no site e se programe. Isso nos leva a próxima dica.
4º MAPA
Sim, tenha o mapinha sempre em mãos, vai por mim, depois de rodar algumas horas, você já nem sabe mais onde está, só lembra que tal estande fica perto daquele outro, mas não faz a menor idéia de como chegar lá. E chegando lá descobre que o estande que você achava que era perto fica longe pra caramba. Sim , a Bienal também exige muita logística. E rodinhas nos pés
5º LISTA DE DESEJADOS
Faça - se é que já não tem - uma lista do que quer. Do que realmente quer e VAI ler. E se você não está levando muito money, ATENÇÃO, porque lá os estandes tendem a colocar alguns livros baratos, alguns que você já viu, não sabe se quer, mas como ta barato leva... e no fim fica chateado porque não comprou o outro que estava de olho a maior tempão. Então FOCO NA LISTA.
Falo isso, mas sou daquelas que faz a louca das compras. Só não compro mais por falta de money.

6º COMPRAS
Vá com dinheiro - em espécie . Em anos anteriores, por causa da super lotação, vários estandes só estavam recebendo em money, porque as maquininhas estavam sem sinal.
Essa dica eu vi no Livros e Citações há alguns anos e estou totalmente de acordo

"Essa é a melhor parte, se você faz parte do grupo de loucos que junta dinheiro para gastar tudo na Bienal, leve uma mala, você vai precisar! Mas, antes, respire e pense para não gastar todo dinheiro no primeiro livro que ver. Espere e gaste suor andando por toda a bienal e veja as promoções, se necessário até anote tudo e fique de olho no que os amigos leitores encontraram em conta. Particularmente, eu vou em todas as sebos primeiro e deixo para comprar direto com as editoras nas últimas horas do último dia e CHORE! Isso mesmo, você aguentou dias de evento, passou por coisas boas e ruins e chegou o momento de fazer ceninha pelo livro que você ama. Se necessário, junte uma galera, vá até uma estande de editora (não para fazer arrastão, calma) e diga algo como: vou comprar 20 livros, me dá 50% de desconto? E então se una a essa galera e faça a festa. Entende? Tem que ter ginga meses antes, mas é nas últimas horas que você precisa lutar por seu amado livro. Ah, um aviso! Não compre algo porque está dois reais, compre SE e SOMENTE SE você realmente for ler o livro."
7º MOCHILA
Sim, na minha primeira Bienal fui com um dessas bolsa de ombro grande. E me lasquei! Cheguei em casa com os meus ombros doloridos e marcados, e as mãos esfoladas de tanto peso de livros. Então fica a dica, leve uma mochilona, até porque talvez você ja leve alguns livros de casa para autografar, e as coisinhas de comer... Se você acha que não vai caber, algumas amigas minhas vão com malas de rodinhas. Vai por mim. Parece exagero. Mas não é. Vai depender da sua wishlist e do seu money.
8º ROUPAS
Vá com uma roupa confortável. Vá de tênis ou sapatilha, confortável, porque você vai andar, vai ser atropelado, vai precisar sentar no chão.
Falo isso porque já vi muitas pessoas que vão todas arrumadíssimas de salto, make, no grito da moda. E chegarem no final parecendo que tinham sido atropeladas por um cargueiro, Mal humorados e com os pés mega doloridos e machucados. Mas se você ta acostumado, vá.
9º CUIDADO COM SEUS PERTENCES
Sim, preste bastante atenção nos seus pertences, nem todo mundo é bem intencionado, então cuidado extra com seus documentos, celular, máquinas fotográficas, dinheiro e suas compras.
10º RELAXE e TENHA BOM HUMOR
Depois dessas dicas aproveite e descanse no dia anterior que você vai para a Bienal. SIM, é cansativo, mas é uma experiência única. E mantenha seu bom humor lá. Aviso isso, porque tem gente que não tem simancol e vai te estressar o máximo. Briga por marcadores - sim, já vi- , discussões entre fandons, por lugares na fila, por senhas. Enfim, uma little jungle. Mas se mantenha calma e não se altere. Muita , muita paciência.
Se puder, vá dia de semana. Se não, eu espero que no fds esteja beeeem mais calmo, para que aproveitem.

Estas são minhas dicas. E APROVEITE AO MÁXIMO. Faça contatos, conheça seus bloggeiros / instagrammers / youtubers favoritos, muitos viram amigos depois. Peça descontos e marcadores. E se divirta.

Beijos Beijos.


Olá amores,

No SoSeLit de hoje ( saiba mais AQUI), vamos falar sobre ... Preço de livros.

Tema tenso né, principalmente em época de Bienal, porque sempre achamos que estamos fazendo um ótimo negócio, ai vamos ver e saiu quase elas por elas. 

Não é novidade para ninguém que quando se trata de preços de livros no Brasil, que para o nosso bolso, o preço é bem salgados na maioria das vezes. Principalmente quando comparamos com os valores nos EUA, Europa e outros.

Mas por que os livros são tão caros, ou melhor, será que realmente são caros, considerando todo o trabalho a ser feito para ele ser impresso?

Infelizmente, para nós leitores, o custo é influenciado pela tiragem dos livros. Sim, é contabilidade pura.

Enquanto no exterior, a média é de 10 mil exemplares por edição, aqui fica na margem dos 2 mil. Agora divida esses 2 mil exemplares entre mão de obra ( editora, revisor, ilustrador ou capista, autor), papel, máquinas para impressão e acabamento, distribuição. Se a tiragem fosse maior, distribuiria o custo fixo ( que é o mesmo para 2 mil ou 10 mil) , assim o custo unitário ficaria menor, que é o que acontece no exterior. 

Mas aqui no Brasil, o mercado literário é não é tão grande ou tão procurado, o que faz com que os editores não trabalhem com tiragens grandes, mesmo sendo Best Sellers, por exemplo, com medo de ficarem encalhados nas livrarias. Assim preferem fazer pequenas tiragens. Por isso, que ás vezes quando você compra um livro que já está há algum tempo no mercado, ele está na sua 32ª edição. São os Best-Sellers que dão lucro para os editores.

Querem ver outro caso que é muito caro no Brasil? Os e-books. 

Quando comecei a ler e-books, não entendia como podiam ser tão caros. Afinal, ele não tem papel, gasto com distribuição, impressão, e outras coisas, mas quando fui pesquisar, quase cai de costas com os valores - se fosse eu a dona da empresa, desculpe , mas não trabalharia com esse formato, e olha que eu amo ler e-books.

Vocês sabem que a carga tributária nesse país é absurda, mas quando se trata de tecnologia é ainda mais, sim porque no Brasil e-book passa por 7 lugares antes de chegar ao nosso e-reader. Isso sem contar leis, contratos,licenças. 

Mas o que mais conta é que esse mercado é apenas 1% do mercado editorial. Porque razão? 

Não sei dizer, pode ser porque muitas editoras não querem trabalhar com eles, porque muitas das vezes o preço dos e-books no idioma original é bem mais em conta, mesmo com o dólar nas alturas, porque as editoras não divulgam mais, ou porque muitos brasileiros ainda não tem o hábito de ler, seja impressos ou quanto mais em aparelhos eletrônicos.

Os e-books e os livros caem na mesma situação. A falta de leitores. Quanto a isso, cabe a nós leitores começar a arraigar essa cultura nas nossas crianças: de ir a biblioteca, incentivar a ler, a usar a imaginação, assim criamos redes de leitores, aí talvez consigamos chegar a altura dos hábitos de leitura dos EUA, por exemplo.

Assim, teremos livros mais acessíveis aos nossos bolsos, e uma nova cultura enraizada no nosso país.

Viajei bastante agora né... Enfim, mas enquanto essa realidade utópica, para nós leitores, não chega, vamos a pequenas dicas de como não gastar muito.

- Bibliotecas - Procure um biblioteca na sua cidade, geralmente tem títulos interessantes, ou procure o Conselho de Cultura da sua cidade e participe, forçando o Poder Público a comprar mais livros. 

- Sebos - Alguns sebos tem achados com preços incríveis. E você sempre pode levar alguns livros que você não quer mais e vender por lá, ou trocar por livros lá.

- Compras online - Ah essas compras online já me fizeram gastar rios de dinheiro, mas conheci grupos que dão descontos e sempre espero datas que sei que tem saldão. Hehe

- Skoob - Fiz trocas incríveis, seja livro por livro, ou livro por pontos. Saiba mais AQUI.

- Trocas de livros na sua cidade -  Promova trocas de livros , seja em uma biblioteca ou em um lugar aberto, e troque uns com os outros. Além disso, ja dá para fazer novas amizades haha.

- Trocas online ou em grupos no Facebook- mas cuidado hein, verifique bem se é um grupo confiável.

- Trocas com as suas amigas ou amigas literárias virtuais - Faça uma lista dos seus desapegos e mostre a elas, quem sabe uma delas não quer se desapegar de um que você quer ler.

Agora, se você quer aquele lançamento mais que tudo, garimpe bem em todas as lojas, use aquele cuponzinho de desconto maroto. E não seja aquele comprador compulsivo, que compra por achar bonito. Só compre os que você realmente ai ler. Isso serve para mim também, já estou tentando me adaptar.  

E vocês, o que acham? Acham que o preço é justo, ou que mesmo com esses custos, os editores poderiam fazer uma forcinha e vender mais em conta?

Bom é isso, espero que vocês tenham gostado do texto. Visite o blog das meninas que participam, e vejam o que elas falam sobre o assunto. Afinal esse é um tema que rende bastante.

Esse é o sétimo post da Sociedade Secreta Literária, onde compartilhamos nossas experiências como blogueiras literária. Tentamos falar sobre assuntos que nem todos falam, contar o que sabemos e aprendemos. Blogs participantes: Eu Insisto | La Oliphant | My Dear Library | Barda Literária | Um Metro e Meio de Livos | Pétalas da Liberdade | Livro Lab | Macchiato | E eu, do Diário de Leitora Compulsiva


Olá amores!Eu sei que estou sumida, mas está uma correria a minha vida, mas vamos lá para mais novidades.

A #LeituraColetiva de "O Morro dos Ventos Uivantes" deu tão certo, que resolvemos repetir a dose, desta vez com o livro "Norte e Sul", da autora Elizabeth Gaskell. Mais uma vez, trata-se de um clássico da literatura inglesa, embora não tão conhecido aqui no Brasil.A postagem de hoje é suuuper especial, pois se trata de um convite!

O Diário de uma Leitora Compulsiva se juntou com outros blogs e uma autora para tornar essa leitura ainda mais divertida. Essa será sua chance de conhecer o livro que deu origem ao seriado "North and South", produzido pela emissora britânica BBC. Só amores por essa minissérie!

Para participar é bem, simples: 
> Possuir (ou pegar emprestado na biblioteca, com um amigo, etc) um exemplar de "Norte e Sul" em qualquer edição ou formato;
> Entrar NESTE grupo no Facebook;
> Participar das discussões semanais sobre a leitura (para poder participar do sorteio de um livro).

BLOGS PARTICIPANTES:
Autora Duda Razzera (@dudarazzeraauthor)

INFORMAÇÕES IMPORTANTES
> A entrada no grupo será permitida até o final da leitura coletiva (16/09);
> A participação nas discussões não é obrigatória, mas o sorteio será realizado apenas dentre os leitores que participarem;
> Cada discussão garante uma entrada no sorteio, então se o leitor participar de apenas uma das discussões, terá uma entrada no sorteio; se participar de duas, terá duas entradas e assim por diante;
> O livro sorteado será O Conto da Aia, de Margaret Atwood, título escolhido para nossa próxima leitura coletiva (um único sorteio, logo um único ganhador);
> A leitura terá duração de CINCO SEMANAS: nas duas primeiras semanas serão lidos 11 capítulos por semana, na terceira, quarta e quinta semana serão lidos 10 capítulos por semana;
> A cada domingo (após a leitura dos capítulos estipulados por semana) será realizado um post de discussão no grupo do Facebook, em que todos poderão opinar, discutir, tirar dúvidas, criar teorias, etc.
> Cada tópico de discussão ficará aberto por uma semana, por exemplo, a primeira discussão, referente aos primeiros 11 capítulos, começa no dia 12/08 e termina no domingo seguinte, 19/08, quando a segunda discussão tem início.
> Ao final das cinco semanas, será realizado o SORTEIO entre os leitores participantes.

DATAS IMPORTANTES:
04/08 – Início da leitura
12/08 – Discussão  1 (grupo no Facebook);
19/08 – Discussão 2 (grupo no Facebook);
26/08 – Discussão 3 (grupo no Facebook);
02/09 – Discussão 4 (grupo no Facebook);
09/09 – Discussão 5 (grupo no Facebook);
16/09 – Sorteio (grupo no Facebook).

***
Contamos com a participação de vocês!

Beijos seus lindos!!

Vocês devem ser tão fortes quanto esta prisão, tão fortes quanto a pedra e o oceano que as cercam. Vocês são concreto e arame farpado. Vocês são feitas de ferro.
Quando vi pela primeira vez essa capa eu já gostei porque ela é linda, já quando vi a sinopse fiquei meio pé atrás. Mas surgiu a oportunidade de ler, quando ganhei a prova antecipada do livro na FLIPOP deste ano ( falo dela amanhã) .E eu li em questão de dias - época de provas finais, =/ - e eu adorei, mesmo tendo adivinhado o final.

Estou falando do livro Graça e Fúria da autora Tracy Banghart que é lançamento do mês da Editora Seguinte. 

O livro conta a história de suas irmãs, Serina e Nomi, as duas criadas juntas mas de maneiras diferentes.Em um mundo que as mulheres não tem voz nem vez. Não podem escolher como viver, não podem ler, estudar. Somente fazer o que lhe disserem.

Serina foi criada para ser uma Graça, que é a esposa do Superior de Viridia, o que é uma honra e tiraria sua família da pobreza. Ela teve aulas de dança, costura e sempre se alimentou melhor que todos na casa.

Nomi foi criada para ser uma empregada, a aia de sua irmã. Ela aprendeu a limpar, cozinhar e vive furiosa por não poder ter as mesmas coisas que seu irmão gêmeo Renzo, que pode sair, estudar, somente por ter nascido homem. Mas ela não desiste, e aprende a ler e escrever , mesmo sendo proibido.

Quando Serina é escolhida para ir ao palácio ser apresentada como representante de Lanos, é uma honra para ela. Para Nomi, nem tanto, já que tem um segredo para guardar, e se descobrirem será morta.

Ao chegarem lá, depois de um encontro acidental com Malachi, o herdeiro do Superior, Nomi é escolhida para ser uma das três Graças do herdeiro, e Serina como sua aia. É aí que tudo desanda.

No momento do encontro acidental, Nomi havia acabado de roubar um livro da biblioteca, e quando sua irmã descobre, acaba sendo pega em flagrante com o livro na mão.

Serina em nenhum momento entrega a irmã, nem mesmo quando recebe a pior das sentenças, a prisão em Monte Ruína. E é la que ela vai aprender a desafiar todas as regras que aprendeu. Enquanto Nomi tem que aprender a não questionar tudo e que nem tudo o que pensa que sabe realmente é.

Como a saudade podia ferir mais que uma bala?

Esse livro é juvenil, então não esperem cenas calientes, mas tem triangulo amoroso - talvez - e cenas amorzinho.

Serina é literalmente uma graça, toda educada, fofa, sábia e que guarda para si  o que pensa, afinal foi criada assim. Já Nomi é a fúria em pessoa, estourada, ela quer fazer revolução, ela quer direitos iguais, e não pensa para falar.

Opostas, mas na hora que o cenário de inverte, cada uma lembra do que a outra faria. A graciosa canaliza sua fúria interior, e a furiosa encontra sua graça interior. Tudo isso para sobreviverem nesse mundo opressor.

Mas o livro tem personagens muito interessantes, como Malachi, o herdeiro sisudo e por vezes atencioso, Asa, o caçula e irmão de Malachi, mais aberto e simpático. Maris, a outra graça escolhida e que guarda um segredo que poderia levá-la a prisão.

Na Ilha conhecemos Oráculo, Petrel, Jacana, e tantas outras mulheres que foram jogadas lá por besteiras. E tem Val, o guarda bonitão que é gentil com as garotas - ai ai <3.E lá as mulheres têm que lutar pela sua sobrevivência e do seu bando. Umas contra as outras para divertir o babaca Mor Comandante Ricci e a tropa toda e conseguir os alimentos da semana.
Porque todos têm medo do que aconteceria se resolvêssemos lutar.
O livro termina com um ótimo gancho para o próximo, que por sinal já quero, e que te deixa aflito para saber mais. Ah e a autora não tem medo de matar personagem não, viu?

Adorei o livro porque mostra duas garotas, aparentemente diferentes, mas que na hora da tribulação são fortes e sabem que precisarão lutar para manterem suas vidas.

O livro começa devagar, aí vai continuando de boas, e você começa a achar que o bom mesmo vai ficar para o próximo livro, aí a coisa pega fogo e o circo incendeia. Tudo bem que eu não me espantei muito, porque você começa a ficar calejada depois de ler muita fantasia. Mas olha, fiquei passada com a ousadia da pessoa.

É um YA? É. É fantasia? É. Mas faz a gente pensar em coisas reais.

Afinal é um mundo machista e cheio de preconceitos contra mulheres como pano de fundo nesse livro. Dói saber que muitos pensam desta forma, mesmo hoje em dia. Que tantas mulheres tenham que lutar para não ser diversão dos homens, mulheres objetos, que não podem pensar, que não podem sentir, nem demonstrar a quem amam.
Não. - Nomi sentiu um aperto no coração. - Não é uma escolha quando você não tem liberdade de dizer não. Um "sim" não tem valor quando é a única resposta que se pode dar! 
Espero que a Revolução se faça nesse mundo de Viridia. E que a mulherada mostre quem manda nessa parada!

( Desculpem, me empolguei haha.)

LEIAM ESTE LIVRO !!


Fogo, respire
Água, queime
Terror, amaine
Seu reino terminou.
Fogo, respire
Água, queime
Estrela, guie
Sua irmã, chegou.




Olá pessoinhas,

Fui convidada recentemente para participar do SoSeLit, a Sociedade Secreta Literária, que é um grupo incrível de blogueiras que se juntaram para falar de assuntos legais e "Não legais, mas necessários" quando o assunto é livros, e que normalmente as pessoas não falam abertamente na blogosfera, além de dar suporte umas as outras, o que nós blogueiros sempre deveríamos fazer, em vez de ficar atacando os coleguinhas - que coisa mais feia, tem espaço para todos.

E hoje na minha estréia - e o sexto post da SoSeLit -, o tema é Quando a editora nos abandona ou simplesmente não está nem aí.

Afinal quem aqui nunca teve uma série cancelada, que jogue a primeira pedra... não em mim, claro.

Dói né, esperarmos aquela série que não lançam nunca e que estamos super ansiosos... Ou pior quando desistem, e falam na SUA CARA que não será mais lançada. Um claro desrespeito com nós leitores.

Eu já me senti desrespeitada muitas vezes e não só com série não continuada no Brasil, mas também com má qualidade nas traduções da história, do título do livro, desordem no lançamento de uma série. Enfim há N coisas que eu poderia apontar.

Mas uma série interrompida é a pior de todas.

Meu caso mais emblemático é a da série Predestinados da Josephine Angelini, que é maravilhoso, sobre mitologia grega, só que não decolou em vendas no Brasil, que se eu não me engano passava por uma fase vampiresca na época, ou seria a fase "Chicotinho do Grey" , não me recordo, agora. Mas enfim, fiquei esperando, até que ouvi um não.. "Não temos previsão"... É ... doeu. Mas isso me levou a pesquisar o titulo em inglês e, melhor, fez com que eu achasse um site português muito amor chamado Wook, e foi de lá que veio minha trilogia completa.

Uma publicação compartilhada por Diario de Leitora Compulsiva (@dleitoracompul) em

Mas até onde nós podemos realmente culpar uma editora, que lança um livro, tem todo um custo para lançá-lo e ele não deslancha, enquanto livros "da modinha" vendem rios, sem nem tanto esforço?

Ás vezes nós mesmo somos os culpados, nós blogueiros, por divulgar mais A que B, porque é o que a editora manda de cortesia, e isso faz com que quem está de fora queira este livro, que TODO MUNDO tem. E aí, aquele nosso livro querido continua sem data da preciosa continuação, se é que será lançado.

E ainda há a pirataria, que diminui e muito as vendas, e assim o "termômetro " que a editora usa para medir se o livro foi bem sucedido, cai por terra junto.

Diante de toda essa bagunça, eu comecei a "garrar " um ranço de trilogias/séries. Eu só leio uma série depois de lançarem toda. E ponto. É o que aconteceu com a trilogia da Corte de Espinhos e Rosas, é o que vai acontecer com a outras como A Rainha Vermelha e as Crônicas Lunares.


Claro que uma vez ou outra vou escorregar e ler o primeiro de uma série de livros, que ainda estão sendo escritos. Aliás, uma coisa que também me irrita é todos os livros agora terem continuações...Continuações INFINITAS... aff... mas isso é assunto para outro dia.


Então, Editora amiga, parceira, gente fina, começou a lançar uma série/ trilogia, TERMINE DE LANÇAR ELA TODA!!!! Entendo que ás vezes o autor/autora não terminou a série, mas depois que termina não há motivo, para não lançar, já que começou... e se não tem intenção, dê o direito de outra publicar , ou publique em ebook, mas não nos deixe órfãos dos livros =/

Fica a dica.

E vocês ? O que acham disso? O que tem a dizer as editoras? Me conte.

Beijos Beijos.

Esse é o sexto post da Sociedade Secreta Literária - o primeiro deste blog -, onde compartilhamos nossas experiências como blogueiras literária. Tentamos falar sobre assuntos que nem todos falam, contar o que sabemos e aprendemos. Blogs participantes:Eu Insisto | La Oliphant | My Dear Library | Barda Literária | Um Metro e Meio de Livos | Pétalas da Liberdade | Livro Lab Macchiato | E eu, do Diário de Leitora Compulsiva

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...