Sabe quando você ganha um livro e pensa " O que a pessoa tinha na cabeça em me dar isso? Não faz meu estilo!" Mas você sorri e agradece. Aí você vê melhor a capa, que é aveludada, percebe que é um livro pequeno e resolve dar uma olhadinha para ver o que é. Aí começa a ler e não pára até acabar.

Foi o que aconteceu quando chegou o livro "O sol na cabeça" do brasileiro Geovani Martins em casa, cortesia da Editora Companhia das Letras, eu me peguei pensando "que livro pequeno" , afinal ele só tem 122 páginas, divididas entre 13 contos do autor.

Mas quando comecei a ler foi que senti o" baque", o livro é composto por 13 histórias e personagens diferentes, mas que tem como plano de fundo as comunidades cariocas, seu jeito simples e seu lado obscuro.

Com uma linguagem um tanto informal, com gírias e maneirismos, que eu realmente não estou tão acostumada, Geovani nos leva de forma nua e crua pela realidade entre cenas de violência, drogas, racismo, desigualdade social, camaradagem, amizade, luta, cultura, afeto.

Li em um golpe só, há alguns contos que gostei mais que outros, mas é normal em um livros de contos, mas todos fluem muito bem.

Os que mais me impressionaram foi Espiral , O rabisco , O caso da borboleta e Rolezim, este sim escrito na gíria.

Eu indico, mesmo sendo uma leitura um tanto que diferente da minha lista normal de leituras. Mas que surpreende muito.

"Ninguém nasce borboleta" pensou Breno. Depois disse baixinho: "A borboleta é um presente do tempo."

Obrigada por tudo, Anjo de Luz. Você veio para iluminar novamente nossa vidas.
Pertinácia, da autora Sue Hecker, foi uma maravilhosa surpresa, enviada para mim pela Harlequin Books Brasil. Nunca tinha lido nada da autora, e agora descobri que deveria ter lido O lado bom de ser traída antes de ler este para entender melhor.

Sabe o que eu falei do outro livro da autora então, a história da Rafa - olha eu toda íntima - começa lá. O livro começa com Rafaela sendo mandada embora do seu ultimo emprego, no qual era enfermeira de uma garotinha, e comete um belo passo em falso. No momento de sua rescisão ela conhece o advogado do Dr Marco, o bonitão Jonas Pamplona. Ele se interessa pela moça logo de cara.

Jonas e sua família vem passando por um momento difícil. Seu sobrinho Guilherme está com leucemia, sua irmã Eliana, mãe de Gui, está com uma gravidez de risco, seu cunhado é militar e ele está atolado de serviço. Eles precisam de uma enfermeira de confiança , já que as últimas empregadas por eles os roubaram e maltrataram o menino.

E como o bonitão do Jonas não é besta, logo ele oferece o trabalho para Rafaela, que só aceita depois de Eliana ter que ser internada, e claro, a nova patroa a querer lá.

Em meio a tudo isso, Jonas consegue com que Rafaela se entregue de corpo , e porque não, de coração para ele, assim como ele faz com ela. O único porém na relação é que ele é um Voyer, sim, ele sente prazer em observar duas pessoas fazendo sexo. Será que Rafaela vai aceitar numa boa?
Chave? Que chave? Existiu uma, algum dia? Nossa conexão já estava entrelaçada antes mesmo de nos conhecermos. Esses dias, refleti sobre tudo,tenho percebido que nada é por acaso. Foi o destino que quis que eu estivesse exatamente onde estou.

Eu gostei do livro. A autora escreve de um jeito que nos envolve a cada capítulo. E olha que tem uns capítulos bem quentes. Tem uma pegada bem mais hot devido ao Voyerismo e umas festas bem abertas aos fetiches. Por isso fica o alerta, se você não curte o estilo, talvez não goste tanto.

Jonas é o típico mocinho bonitão, rico, com um segredo obscuro, mas que tem um coração imenso e ama ajudar a família. Rafaela cresceu em um orfanato, e nunca parou em nenhuma família adotiva por muito tempo, por isso desenvolveu o gosto por ajudar as cranças doentes no orfanato e transformou isso em profissão.

Os dois juntos se complementam. Eles são irônicos, gostam de se divertir e querem que os aceitem como são.Além disso eles cuidam um do outro.

Teve uma cena bem triste, e que descobri que tem ligação com outro livro da autora. Agora eu vou ler para entender melhor .

A família de Jonas é linda. Eliana e Felipe são um casal unido mesmo com todas as atribulações na vida deles, e isso se reflete em Guilherme que sabe que está cercado de amor.

Mas quem roubou o Bóris, um pug muito fofo... ou pelo menos eu imagino isso porque acho Pug muito fofos.
Admiração é um sentimento que se carrega por toda a vida! E é esse sentimento que envolverá a sua lembrança em meu coração.

Leiam e se apaixonem pela história.Quem quiser ler na sequencia certa, segue a ordem :D

Beijos Beijos


 O mundo que dá voltas e o sol que queima não estão nem aí se ficamos ou se vamos embora. Não é nada pessoal.
Pensa em um livro triste. Agora pensa num livro que partiu meu coraçãozinho peludo. Então ... esse é o livro.

Dias de Despedida de Jeff Zentner, lançado pela Editora Seguinteé um livro muito triste e muito fofo mesmo tempo. Ele parte seu coração mas deixa você com aquela sensação de querer abraçar todo mundo.

O livro conta a história de Carver, ou melhor, Blade que acaba de perder os seus três melhores amigos, Blake Mars e Eli , juntos eles era a trupe do molho.

O pior é é que além de lidar com a morte dos três amigos,  ele tem que lidar com a culpa de ter sido , o talvez , responsável pela morte deles, porque afinal ele mandou uma mensagem de texto para o motorista da rodada que era o  Mars, e quando vão retirar os corpos dos destroços do carro, acham o celular do menino no meio de uma mensagem para Blade. 

Cadê vocês? Me respondam!

Em meio a tudo isso , ele tem que lidar com ataques de pânico, com a irmã gêmea de Eli,  o pai do Mars, juiz tipo fodão,  que quer indicia-lo pelo crime. .

A vida dele sofre uma reviravolta, ele não tem mais amigos, o pessoal na escola não sabe se fica ao lado dele ou não. Só conversa com uma pessoa, a namorada do amigo morto. Juntos eles tentam superar a perda. 

Quando a avó de um deles propõe um dia de despedida, ou seja , um dia para que eles pudessem reviver alguns passos e contar histórias que um ou outro não conhecia, revelar segredos e quando vêem que isso dá certo, ele tem o convite das outras duas famílias. .

Só que ao contrário da vó de Blake , ele não sabe quais são as intenções das outras famílias. Será que é porque queriam realmente se lembrar e reviver as lembranças , ou seria uma pressão para fazê-lo ir preso? 
Este dia aguçou tudo o que eu vinha sentindo nas últimas semanas. A Culpa. O luto. O medo. Afiou esses sentimentos até ficarem cortantes e ardentes. Mas, por outro lado, tirou um pouco daquela pontada e a substituiu por uma sensação pesada de ausência. Enquanto o luto é um sentimento mais ativo - um processo de negociação -, a ausência parece o luto com uma dose de aceitação.
Amei demais esse livro, porque ele te faz sentir, rir , chorar e pensar. Fala sobre perdas, tristeza e luto, mas fala sobre recomeços e lembranças boas. .

Os personagens são sensacionais, eu consegui entender todos, entendo o porquê agiram como agiram. .

A história é contada no presente , mas com flashbacks da Trupe do molho, que faz com que você ria e se emocione. 
Fico pensando se as ações que tomamos e as palavras que dizemos são como pedrinhas jogadas num lago, causando reverberações que se espalham muito além do centro até finalmente se quebrarem na margem ou desaparecerem.
Para um livro de estreia YA, Jeff Zentner consegue convencer o leitor, da primeira à última página, de que sabe exatamente o que, como e para quem está fazendo de um jeito incrível, já quero outros livro do autor.
Engraçado como as pessoas passam por esse mundo deixando pedacinhos de sua história para que as pessoas que conhecem carregarem
Super Indico. É daqueles pra se guardar no coração .


Beijos Beijos


Os olhos dela brilharam, e a secura repentina na garganta de Tristan o fez engolir em seco. Ninguém além de Georgiana conseguia fazê-lo se sentir como um menininho ingênuo.

Recebi Como se vingar de um Cretino da Suzanne Enoch como cortesia da linda Harlequin Brasil, e como vocês sabem eu amo romance de época.Esse não foge daqueles que tiram risadas durante a leitura.


O livro conta a História de Lady Georgiana, uma moça que nunca esqueceu o que Tristan Carroway, o Visconde de Dare, fez para ela. E ela não vai deixar de se vingar, ainda mais quando tem a oportunidade de ensiná-lo a não brincar com os corações de damas inocentes.

Ou ela pensa isso.


Lady Georgiana é uma moça muito bonita, rica e centrada. Tem muitos pretendentes, mesmo aos 25 anos, o que naquela época era praticamente uma idosa rsrs, seja pelo dote ou pela sua beleza, mas ela não aceita as propostas por causa de um erro em seu passado.

- Eu jamais voltarei a confiar em alguém que diz que gosta de mim. Já ouvi isso antes e sei como termina.

Mesmo acreditando continuar como solteirona, ela não quer mais ver alguns cavalheiros tratando as damas de qualquer jeito.E claro o Visconde de Dare está no topo dessa lista. E é exatamente ele que é escolhido para aprender a lição de Georgina quer ensinar.


Tristan,o Visconde de Dare, está desesperado pra fazer um bom casamento com uma moça rica, afinal ele precisa quitar as dívidas da família e salvá-los da falência. E mesmo achando em Amélia, a melhor candidata ao posto de viscondessa, ele não consegue pedi-la em casamento porque Georgiana ressurgiu em sua vida, disposta a enlouquecê-lo com seus leques a bater-lhe nos dedos e suas ironias, sorrisos e danças.

O visconde havia brincado com o coração de mulheres demais, e Georgiana garantiria que isso não aconteceria mais. Nunca mais.

Esses dois são muito fofos e enlouquecem um ao outro. Ela procurando se vingar de uma antiga aposta com ele, mas se enrolando toda depois de ir morar debaixo do mesmo teto, e conhecer a família maravilhosa dele.E ele, conhecendo um lado mais vibrante e mais poderoso dela.


E no meio dessa relação de tapas e beijos, Tristan e Georgiana se conhecem de formas que jamais imaginaram. Um lado que nunca viram um no outro. E com uma mãozinha das tias fofas dele, eles vão conseguir se acertar. 

- Não permito que ninguém, além da senhorita, pise em mim - respondeu Tristan, sorrindo quando se afastaram de novo.

Aliás os personagens secundários são incríveis.

Lucinda e Evelyn são as duas amigas mais próxima de Georgiana e que puxa ela para a realidade, mesmo que ela não aceite.

As tias e os irmãos de Tristan são as coisas mais fofas da vida, já quero livro deles. Ai gente, eles são muito lindos. Fiquei apaixonadíssima por Bradshaw e o misterioso Robert. Como eu disse,os dois terão livros futuros. Então..Alô, Harlequin!

Adorei a Leitura, só não dei 10 porque me incomodei um pouquinho com o final, porque a personagem muda assim muito rápido de lado. Mas adorei a leitura.



Leiam, leiam e leiam. Ah, e Harlequin: já pode publicar os próximos porque eu preciso deles!

- Mas e o que ela espera? Já pensou nisso, Tristan? Você pensa em alguma outra pessoa que não você mesma?

- Penso em você, o tempo todo.
Beijos Beijos


♪♫ Everybody hurts, sometimes...Sometimes everything is wrong ♪♫ 
Dia 18, saí o último livro da série A Rainha Vermelha, e resolvi postar as resenhas dos livros como contagem regressiva. Então vamos lá.     

Gentchiii , que livro foi esse? Demorei horrores para ler, e não sei se é porque passei um loooongo tempo longe de distopias e fantasia, mas li ele em dois dias, e simplesmente amei. A autora , Victoria Aveyard, faz questão de desfazer tudo o que você achava que seria o final. Me surpreendi mesmo.

    No mundo de A Rainha Vermelha o mundo é dividido por sangue : os vermelhos, que são os comuns, e prateados, que são a nobreza - o famoso sangue azul- e que tem poderes especiais. nem preciso dizer que a prateados são ricos e mandam no pais , e os vermelhos são muito pobres e trabalham duro, mas a maior parte vai para o front da guerra mesmo.
– Quantos? – grito em resposta, reunindo forças para encará-los. – Quantos morreram de fome? Quantos foram assassinados? Quantas crianças foram levadas para a morte? Quantos, meu príncipe?
   Nesse meio, conhecemos Mare, uma garota de dezesseis anos, nascida vermelha, e está prestes a ser mandada para o front porque não tem nenhum talento especial, a não ser bater carteiras e roubar pequenas coisas, mas quando fica sabendo que seu melhor amigo, também irá, ela sente um desejo forte de protegê-lo e nem imagina que isso vai fazê-la entrar na maior aventura da sua vida.
    Em uma noite, que ela está desesperada por dinheiro e com a cabeça cheia de problemas, ela acaba roubando e sendo pega, mas acaba saindo ilesa. Para sua surpresa, no dia seguinte, ela acaba sendo convocada para trabalhar no Palácio.
Esta é a verdadeira distinção entre prateados e vermelhos: a cor do sangue. Esta única diferença os torna mais fortes, mais inteligentes e melhores do que nós
    E justo no dia da escolha da princesa que casará com o príncipe Cal, que para sua surpresa é seu salvador, ela acaba descobrindo que também tem poderes, no meio de uma arena LOTADA. O problema é que ninguém com sangue vermelho tem poderes, pelo menos não que o povo prateado saiba.
    Aí começa um esquema para que Mare case com Maven, o meio irmão fofineo de Cal, para que camuflem essa vermelha de poderes prateados. Mare muda de nome, de trajes, tem que aprender novas coisas, treinar e tentar não ser descoberta, se não ela morre.
Parte de mim deseja se submeter às correntes, a uma vida cativa e silenciosa. Mas eu já vivi uma vida assim, na lama, nas sombras, numa cela, num vestido de seda. Jamais serei submissa de novo. E jamais vou parar de lutar.
    Até aí tudo lindo, mas uma revolução está a toda e Mare não ficará fora dela. E a Guarda Escarlate precisa dela. Mas o problema é que em quem se pode confiar em um lugar em que nada é o que parece ser e segredos estão em todo lugar?
Nas histórias, nos antigos contos de fadas, um herói sempre aparece. Mas todos os meus heróis estão longe ou mortos. Ninguém vai aparecer pra mim.
    Ok, pensa em um livro foda incrível. Esqueça tudo o que você acha que sabe, aí sim você saberá o final - Pensa numa pessoa que ficou puta com o final o/, porque é impossível você não fica beshta com ele.
    Adorei como foi construída a narrativa em primeira pessoa, porque nos deixa com o visão da Mare das coisas, ou seja se ela faz uma burrada, nós também fazemos haha. Amei todos os núcleos do livros, desde a vila de Mare com a familia um tanto desajustada de Mare, o palácio com o fofo Julien, até a Guarda Escarlate com a girl power Farley no comando. Aliás o livro está cheio de girls power, do bem e do mal. Mare, a Rainha, Farley, a Evangeline, entre outras.
A verdade não importa. Só importa aquilo que as pessoas acreditam.
    Mas vamos falar de coisa boa?
    Vamos falar boys magias.
    Cal e Maven, dois príncipes lindos e incríveis a sua maneira, que fazem a gente se apaixonar,torcer ora para um, ora para outro. E que no final nos destroem. Olha foi tenso esses dois.Mas continuo gostando do mais tranqueira, vai entender...
    E também tem Lucas, uma guarda da família real, que vem de uma casa tradicional e que é muito fofo, todo gentil e prestativo com a Mare.
    Os personagens são muito bem construídos e fico tensa só de pensar no que será desses personagens maravilhosos, uns muito maus , outros bons , outros que são os dois. Mas o que mais gostei foi que em nenhum momento, a autora deixou a história cair, ou enrolou muito. Era um tiro atrás do outro.
Uma mentira me levanta e, um dia, outra vai me derrubar.
Super Indico.

– Este mundo é tão perigoso quanto belo – começa – Quem não é útil, quem comete erros, pode ser descartado. Você pode ser descartada.
Beijos Beijos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...