Sabe quando você pega um livro e não solta até terminar de ler, mesmo ele sendo mais intenso do que você está acostumada?

Então assim foi com O Último Adeus, da autora Cynthia Hand , lançamento da Darkside este mês.



O livro é narrado por Alexis, ou Lex, que perdeu o irmão a pouco tempo. E o que piora tudo é saber que Tyler, seu irmão, se matou e ela nem percebeu os sinais que o encaminhavam para isso. Porque ela estava envolvida demais na sua vida e agora ela se culpa, ao mesmo tempo que tem raiva de seu pai e vê sua mãe desmoronando aos poucos.

Essa não era a vida que ela tinha planejado, ou esperado, mesmo depois de seu pai os deixar para se casar com o clichê, como ela chama Megan, a atual esposa de seu pai.

Para Lex, sua vida era uma normal de qualquer estudante nerd do último ano, esperando ansiosa por sua aprovação na universidade do sonhos. Com um namorado que a entendia muito bem, afinal Steven é seu amigo de anos e anos, e ainda tem Eleanor e Jill, para completar o grupo.

Mas então, em 20 de dezembro, do seu ultimo ano de escola , ela recebe a notícia que seu irmão dois anos mais novo, se matou na garagem de casa. Desde então ela vive com uma nuvem escura pairando sobre ela e sua mãe, a raiva, a dor e a culpa a fazem sentir como se um buraco negro se expandisse em seu peito. Ao mesmo tempo que parece não conseguir sentir mais nada além disso, ela não consegue nem chorar e acaba se afastando de todos.

Seu terapeuta, Dave, pede que comece um diário, um que tenha destinatário, que pode ser para qualquer um, desde que ela escreva sobre o que sente, principalmente que fale sobre Ty. Mas como ela vai falar para alguém que viu o fantasma  de seu irmão no porão, que sente seu perfume como se ele ainda estivesse ali.
As pessoas que amamos nunca se vão de verdade.

Sim, você sabe de uma coisa? Você deveria fazer adesivos de carros ou coisa assim,Essa frase é profunda.Tocante. 
Confesso que esperava uma coisa diferente do livro. Uma coisa mais sobrenatural, uma história com fantasmas assustadores - tá não assustadores, mas vocês entenderam -, e eu não curto muito histórias assustadoras - aquele IT maligno que o diga- , aí conforme fui avançando na leitura, que flui muito rápido, me peguei presa no mundo de Lex e na busca dela por respostas, do motivo pelo que o irmão fez aquilo,ora por culpa, ora por raiva, ora por dor. E vi que valeu muito a pena lê-lo, e que superou e muito as minhas expectativas

O livro começa com Lex contando o motivo de estar escrevendo. Até então a única coisa que você sabe é que o irmão dela se matou e ela está fazendo terapia, mas não quer tomar remédios, então Dave, o terapeuta,  pede que ela escreva uma espécie de diário, falando sobre seus sentimentos, uma vez que ela não fala muito com ele.

No começo do livro, eu achei ela um tanto fria, mesmo com toda aquela racionalidade matemática dela como base para ela ser assim. Mas conforme vamos conhecendo sua historia, o divórcio traumático de seus pais, a primeira tentativa de suicidio de Ty, seu relacionamento com Steven, e com suas amigas Beaker e El, nós vamos entendendo melhor Lex, vamos nos acostumando - e gostando - do seu tom irônico, e também descobrindo o motivo de ter tanta culpa e dor em relação ao irmão.
Meu pai não é muito chegado a sentimentalismo.Acho que puxei isso dele.
Quando ela começa a ver o fantasma do irmão, que sua mãe também sente, ela fica confusa porque ela quer uma resposta cientifica para isso, que ela não esta louca,então ela descobre uma carta para a ex de Ty, e sua missão é entregar a carta, ou ao menos ela acha que é isso. Mas ela tem tantas dúvidas, tantos medos, pesadelos em que Ty fica morrendo, morrendo, morrendo e ela não pode evitar. E ela acaba recebendo apoio de uma pessoa que ela nem sequer imaginava.

Ty por outro lado, é uma icógnita, afinal ele era estrela da escola, popular, namorava uma garota linda que também gostava muito dele, tinha amigos. Então você começa a ver o outro lado da história, a descobrir coisas, sentimentos não resolvidos, raiva. Aí começa a perceber que na realidade, ninguém conhece tão bem o outro assim. Mesmo pessoas da sua família, com quem convive sempre. E ainda tem aquele único post-it que ele deixou no espelho do quarto para a mãe, o que me revoltou totalmente, afinal imagine uma mãe vendo aquilo.

Os pais deles são um capítulo a parte. Imagine você com sua família feliz, normal. De repente isso muda radicalmente. Seu pai sai de casa para morar com um clichê , como diz Lex, sua mãe volta a estudar e trabalhar como enfermeira. O mundo deles ainda estava frágil, Lex e Ty não conseguem perdoar o pai, mesmo eles se encontrando semanalmente para jantar. Aí então Ty se mata e derruba de vez essas estruturas.
Pelo menos, estou determinada a ser direta.Meu irmão se matou.Na nossa garagem.Com um rifle de caça.Isso faz com que pareça o jogo mais cruel do mundo, mas é isso.
O livro é muito bem escrito, ele te prende de uma maneira que te faz querer saber o motivo que levou Ty a fazer o que fez, qual era a mensagem que deixa Lex tão culpada. Ficamos com Lex vendo ela focar na sua rotina, se afastar dos amigos, e ir tocando sua vida. Ainda que assaltada por flashs do irmão, lembrando suas histórias. E ela fica com mais raiva e dor, ao ver que o mundo não para porque está ferida, ou porque a sua mãe vive dopada de álcool e antidepressivo, ou porque seu irmão não vai passar pelas coisas normais do fim da adolescência. Ele vai ficar sempre com 16 anos.

Então, ele está mais atrapalhada que o normal, ela faz confusão, ela ajuda pessoas e se ajuda no processo, e vai entendendo melhor a mecânica da vida - já que ela é toda nerd né. O final é incrível. Mesmo te dando uma leve taquicardia.
Na minha experiência, o amor não traz felicidade e estabilidade. E acreditar nele pode causar bastante problema.
Este livro ele mostra um ângulo diferente do suicídio, a dor e a saudade estão lá, mas tem uma coisa mais crua, mais dolorida, que é a raiva e um monte de por quês sem resposta. Eu tive alguns amigos e conhecidos que morreram muito jovens , mas um me chocou até a alma, foi um que um conhecido deu um churrasco de aniversário, no qual ele estava absurdamente feliz, convidou todos os amigos, e na mesma madrugada , depois que todo mundo foi embora, ele se matou.  Tipo foi irreal, ninguém conseguia acreditar, a gente o tinha visto algumas horas atrás, vivo, e de repente, ele se foi, por escolha dele.

E é isso que o livro mostra, que independente do que acontece, a vida continua para aqueles que não foram atingidos, e que até para estes ela continua, mas de um modo diferente, como conviver com uma ferida no peito, que pode até cicatrizar, mas nunca vai fechar de fato. E que por mais que queiramos muito, o passado não muda, mas a vida encontra um jeito de seguir em frente.

Super recomendo.Lágrimas cairão sim, para alguns, e para outros, a história deixa uma "lição" muito clara, e que vai te fazer pensar muito. Independente se chorar ou não. O livro é emocionante e muito sensível.


Beijos Beijos

2 Comentários

  1. Livro maravilhouuuuuuuuuso <3333333333333333

    ResponderExcluir
  2. Por algum motivo me lembrou o livro "O céu está em todo lugar" que também trata da superação de perdas, embora não para o suicídio. Parece um livro bem profundo e emocionante, adorei a resenha!
    Gislaine | Paraíso da Leitura

    ResponderExcluir

I hope you feel at home when you visit me!!

Please don´t forget to comment on the posts, your opinion is truly important and makes me happy!!

;D

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...