Pensa em um livro bão para nós mulheres, e porque não, para os homens também!

Pensou? Ótimo, porque este é melhor ainda.

Estou falando do livro Mulheres, da Carol Rosseti, o livro chegou em parceria com a nossa linda editora parceira Sextante.

Acho que vocês me viram babando por ele nas redes sociais.



O livro é dividido em partes e as ilustrações são super amazing. São 160 páginas que nos fazem pensar na luta das mulheres na sociedade pelos seus direitos , sociedade ainda machista e patriarcal.

A autora diz :

 “Existem mulheres negras, brancas, morenas, latinas, asiáticas, indianas, indígenas. Existem engenheiras, donas de casa, prostitutas, senadoras, artistas, executivas, atrizes. Há mulheres cegas, surdas, mudas. Mulheres bipolares, deprimidas, ansiosas.
 Existem heterossexuais, lésbicas, bissexuais, arromânticas, pansexuais, assexuais. Mulheres cristãs, ateias, budistas, islâmicas.
Há mulheres que não são ativistas, que nunca ouviram falar em feminismo, que nunca discutiram racismo. Mulheres que lutam de formas diferentes, a partir de ideias que não conhecemos. Existem mulheres que têm vergonha de compartilhar suas escolhas por medo de serem julgadas. E mulheres que discordam de tudo isso que eu disse até aqui.
Cada uma tem sua própria história, e acredito que todas elas merecem ser ouvidas e representadas. Minha abordagem será abrangente, convidando todos os que dividem comigo essa ideia de liberdade a celebrar a diversidade do ser humano.
Pode entrar, sente-se onde quiser, pegue um café. Estão todos convidados.”
Então vamos falar um pouquinho de cada parte.

Corpo

Neste capitulo nós vemos ilustrações de várias de nossas neuras com relação ao nosso corpo, cabelo, e como lidamos com isso.





Moda

A moda pode oprimir ou libertar. Vai da sua escolha aceitar que "digam, que pensem , que falem" ou se encaixar nos padrões.




Identidade

Nessa parte vemos a parte interna, nossa identidade, o que pensamos, o que somos, como agimos, se amamos ler e amamos sapatos, se é bi, gay, ou hetero , que só menino pode fazer isso e menina isso, enfim, várias coisas que deveriamos fazer ou que não deveriamos.



Escolhas

Esse já é bem claro né. São nossas escolhas de vida, como empregos "masculinizados", amizades de diversos tipos, a escolha ou não de ter filhos, de fazer ou não sexo, de ter hobbies que não sejam para mulheres "direitas" .



Amores

Esse não preciso nem comentar.
"Quem um dia irá dizer que existe razão nas coisas feitas pelo coração" ( Renato Russo)





Valentes

Esta parte é de todas as nossas batalhas internas, que não são poucas, de que quando algo ruim acontece a culpa é nossa, que se tivessemos seguido o que mandaram nada teria acontecido, que doenças como Bulimia, anorexia ou depressão é falta de louça para lavar.



Esse livro como disse é maravilhoso. Faz a gente pensar. Nós mulheres, temos sim que pedir respeito, nessa cultura machista em que vivemos. " Ai porque na Bíblia...", " Ai mas o que vão pensar de mim?" , amiga, por favor, são pensamentos como esse, que mulheres são abusadas, e dos mais diversos tipo, e consentem . Não podemos aceitar isso. Temos que lutar, nos unir, e não precisamos deixar de ser "femininas' para fazer isso.

Tem muita gente que acha que ser feminista é se tornar mulher macho, ou qualquer coisa do tipo.

O movimento, por mais diverso que seja, parte de uma ideia simples e, convenhamos, mais do que justa: mulheres também são pessoas.

Então é possível resumir dizendo que as feministas defendem a humanidade das mulheres.

Não seria nada de mais, se não fosse em um mundo onde tanta gente luta diariamente justamente para tirar isso de nós.


Leia o texto na íntegra, retirado do site Carta Capital,O que as feministas defendem? 

 Sabe o que é pior. Nós mesmas criamos os estereótipos quando apontamos uma mulher que não tem o "tipo" que nos é apresentado como certo. Tudo o que foge desse padrão , nos deixa desconfortável, seja em nós ou nas outras. Quantas vezes deixamos de fazer algo que estávamos com vontade de fazer, com medo do que pensariam.

Momento desabafo.

Eu, por exemplo, já tive vontade de pintar meu cabelo de rosa de novo, mas como eu já tenho quase trinta anos, acho que vão rir , ou sei lá. E isso começa em casa. Minha mãe sempre me ensinou que cabelo colorido é coisa de "maloqueira" , assim como tattoos e piercings são coisas que diexam a gente feia. Sim, minha mãe detesta. Então fui deixando pra lá. Amo camisetas com estampas de desenhos, muitos acham infantis, então evito sair muito com elas, mas é uma coisa que está intrinseca em mim. Sempre gostei de camisetas com desenho e sempre odiei aquelas animal print, o que dizem que é mais apropriadas para os meus quase trinta.

Estou acima do peso, isso não me incomoda, mas sempre tem uma amiga que fala "Fran você precisa ir na academia hein, tá gordinha, precisa malhar" , ou quando falo que estou bem solteira, a pessoa vem e fala " Nossa mas daqui a pouco você vai estar velha para ter filhos e quem vai cuidar de você quando fica velha?" São coisas que tenho que escutar por um ouvido e soltar pelo outro, porque senão você sai na porrada com todo mundo. Mas isso começa a mexer com o que penso as vezes.

Já pensei várias vezes em manter um relacionamento mais ou menos, para conseguir uma familia, um amor mais ou menos, emagrecer para ficar bem nas roupas aceitáveis para minha idade, mas o que é pior, viver de aparências ou mentir para si mesmo?

Eu escolho ser feliz como sou, e que me aceitem assim!!

Bom voltando ao livro.



Agora se você acha que tudo isto é besteira e que não concorda, e que não sente nada disso. Ok. Só não julgue quem luta pelos direitos iguais.

Beijos Beijos,

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...