Sabe aquele livro que acaba de lançar, ninguém conhece, nem tem tanto marketing o envolvendo, mas desde o momento que você viu a capa e a sinopse lá na pré venda, quando estava caçando no Book Depository, e imediatamente foi conquistada?!

Então, foi bem assim que conheci The Boyfriend App. Todos que acompanham as resenhas da #SextaInternacional sabe que sou uma rata de Goodreads, Netgalley e Book Depository, e estou sempre trazendo um título que ainda não foi lançado no Brasil, ou que será em breve. E logo que encontrei este livro na pré venda no BD, eu o encomendei na hora *-*

Mas assim que o livro chegou, eu acabei guardando ele na estante. Por conta da correria da vida e tudo o mais, porém em Janeiro, retornei decidida e animada em ler, mas a correria com viagem (acreditem até levei ele comigo pra BA, mas não tive tempo pra lê-lo) e com o inicio do semestre, acabei adiando a leitura pra Março, que fui sugada pela história e que não consegui largar!!! Sério, não esperava que fosse assim tão DIVO <3





Audrey McCarthy é uma geek. Uma nerd que se sente muito mais à vontade num laboratório de informática do que numa loja de sapatos. Porém, nem sempre ela foi assim, pois já teve seu momento de popularidade, já foi aquela menina que vários meninos desejaram, quando até há alguns anos atrás ela era a BFF da menina mais popular da escola. Mas a vida muda, aguas rolam por debaixo da ponte, e as pessoas, principalmente elas, mudam, quando uma tragédia abala a vida de nossa protagonista.

Convivendo agora com seus amigos geeks, entre eles o geek mais fofo e meigo de todo o mundo, Aidan <3 <3, e aqueles que a aceitaram. Tentando fugir da sua ex amiga (uma bitch de marca maior, sério, aquela que todas queremos esganar), Audrey tenta sobreviver ao Ensino Médio e sonha em acabar com toda a agonia e se mandar para uma faculdade bem longe de tudo e de todos, mas para isso ela precisa muito de uma bolsa de estudos.

Como disse, Audrey é uma geek, na verdade mais que isso, ela é uma rata da informática, uma hacker, que consegue invadir qualquer sistema, criar qualquer software, graças a tudo que seu pai lhe ensinou (just like my own Dad), e tudo que ela sonha em fazer na vida. E quando suas esperanças estão esgotadas, surge uma nova oportunidade, criar um app inovador e/ou popular para uma marca famosa de gadgets, a Public Corporation (obviamente uma apple da vida fictícia) em troca do prêmio tão sonhado, uma bolsa de estudos integral.

As crenças do meu pai tornaram-se as minhas crenças. E quando ele me ensinou como encontrar as vulnerabilidades de um software, ele proferiu o conselho mais importante de todos: Não use o que você sabe fazer para machucar as pessoas.

Todos na escola ficam em polvorosa, principalmente Audrey, pois agora ela tem como mostrar para todos o que ela é capaz de fazer, e assim por em prática todo seu aprendizado na arte tecnológica... Claro, que encontrar um tema para app é complicado, se ela ao menos tivesse um namorado para ajudá-la ou apoiá-la... Isso... daí surge a ideia, The Boyfriend App...

Eu sentia como se tivesse alguém real aqui comigo no quarto, me dizendo que eu com certeza teria uma chance real de ganhar o concurso. Me dizendo que eu era bonita mesmo se meu cabelo nunca ficasse direito.
O que eu queria era um namorado.

Não apenas um app para arranjar um namorado, nananinanão, é um app mega inovador mesmo, que me deixou em polvorosa louca para baixar, mas como nada é perfeito, o app de Audrey faz sucesso mas os bugs não... Até que num acidente com seu iPho-ops-buyPhone, ela descobre o grande motivo do sucesso da empresa por trás do grande exclusivo software, e usando uma arma secreta ela consegue construir um novo e melhorado app, o The Boyfriend App 2.0.

Eu estaria em talk shows com Mark Zuckerberg. Eu teria o universo na palma das mãos.
Tudo que deu errado poderia dar certo de novo.
Introduzindo: The Boyfriend App.
Pegue o app. Pegue o cara. Funcionaria – mesmo pra mim.
Tinha que funcionar.

Mas o que Audrey não previa era o surto generalizado que este app provocaria nas pessoas, sério, é cada coisa hilária acontecendo a sua volta, e tão incrivelmente louca que me fez gargalhar por horas a fio, sem conseguir retomar a leitura, porque sim, imagina um app milagroso que te faz ficar com o cara dos seus sonhos... simples assim... apenas usando seu celular... Imaginei centenas de situações loucas, comigo envolvida, claro, rs.

E com o sucesso que veio, o fracasso também surgiu... Mas Audrey agora sabe de algo importante que ninguém mais sabe sobre a apple, ops, desculpa, a Public Corporation, e uma luta tecnológica está prestes a romper... Será que Audrey pode se isentar da culpa pelo surto que seu app provocou ao redor do mundo?! Será que ela vai conseguir a bolsa de estudos?! Mas será que conseguir o cara dos sonhos é o mesmo que conseguir amor?!

The Boyfriend App, como puderam perceber é um livro que me deixou mega surtada, e olha que não sou muito afeita a softwares, ou informática. Uma área que sempre me estressou, e que era a área de trabalho de meu pai, assim como o pai da protagonista. Mas foi muito bacana conhecer um pouco do cenário que cerca a criação de um app de sucesso, afinal é bem interessante descobrir coisas novas, e a moda como é narrado todo o processo no livro, até me fez desejar ter feito Informática no Ensino Médio (passei em 6º lugar, mas desisti =p ).

Mas o que mais marcou mesmo foi a descoberta da Audrey no decorrer da história, afinal, vocês já perceberam que somos viciados nestes gadgets, ou em apps. E quando entramos no iTunes ou na GooglePlay e não conseguimos apenas baixar um joguinho, se deixar acabamos comprando vários. É um vicio sério, e será que somos condicionados para isso?!

Supostamente deveria haver verdades na tecnologia, e não mentiras e segredos e armações. Mesmo estando assustada, tudo em que eu e meu pai acreditávamos tornou esta decisão a mais fácil que já tomei. 

Katie Sise levanta sua questão com a personagem Audrey e sua narrativa, claro além de trazer uma história engraçada, fofa e simplesmente encantadora <3

E aí me perguntam, Jujuba você gostou deste livro?! Darling to surtada desde o inicio e não consegui largar por um único momento, tá em apenas um, porque eu ria tanto com a situação no livro que ficou impossível me segurar rs

Olá, garotos.
Aqui vem Audrey McCarthy.
A troglodita.
A hacker.
Objeto sexual.
Inventora do The Boyfriend App 2.0.

E posso confessar minha necessidade de ter um The Boyfriend App 2.0?!


P.S. Trechos do livro foram traduzidos por mim, Juliana Marques (Jujuba)
P.S.2.Ainda sem informações de Editoras no Brasil que irão trazer o livro para nós <3


E aí fofos, o que acharam do livro, da história e da Resenha (curta eu sei)?! Podem contar tudo aqui =)

Deixe um comentário

I hope you feel at home when you visit me!!

Please don´t forget to comment on the posts, your opinion is truly important and makes me happy!!

;D

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...