Terminei uma leitura, e estou aqui tentando imaginar o futuro. E por mais doido que pareça, eu realmente consigo imaginar como o descrito no livro, porém ainda mais sombrio. Posso ser pessimista em relação ao futuro da humanidade, e acho que por isso mesmo eu adorei tanto o livro, rs.

Alguns escritores conseguem ter uma perspicácia aliada à imaginação que nos surpreendem ao trazer uma ficção distópica tão bem ambientada, tão bem descrita e tão bem elaborada. Um futuro possível, assolado por pragas incuráveis, e mesmo com todos os avanços tecnológicos, ainda exista preconceito e tantos outros males atuais.

Enfim, conheçam Cinder, uma releitura bem diferente da famosa Cinderela!!





Cinder é uma jovem mecânica. Não uma mecânica qualquer, a melhor mecânica de toda Nova Pequim, o motivo?!?! Ela entende de máquinas como ninguém. Conhece todos os mecanismos, as fiações complexas, os erros de software e os problemas de hardware que podem ocorrer com qualquer robô, ou aparelho tecnológico. A razão?!?! Ela é um ciborgue. Não por que desejou ser, mas sim por conta de um acidente que ela sofreu quando era muito pequena para se lembrar, e para salvar sua vida, médicos reconstruíram parte de seu cérebro, sua mão e pé.

Por conta de seus membros de metal não serem escondidos por enxertos de pele, culpa de sua madrasta que não quer gastar um centavo com a ciborgue inútil que seu marido trouxe para casa há alguns anos atrás, Cinder é uma reclusa em sua sociedade. Ela é maltratada em casa com sua pseudo-madrasta e a sua pseudo-irmã, Pearl. E no mercado, onde tem sua banca, onde recebe clientes para consertar seus apetrechos tecnológicos, Cinder sofre com a exclusão, olhares tortos, e cantigas infantis que ferem sua sensibilidade.

Poderia ter dito que, como era a única a trabalhar, o dinheiro deveria ser dela, para gastar como bem entendesse. Mas os argumentos não dariam em nada. Legalmente, Cinder pertencia a Adri, tanto quanto o androide doméstico, assim como o seu dinheiro, seus poucos pertences e até mesmo o pé novo que acabara de colocar. Adri adorava lembrá-la disso.

Cinder pode ter em sua composição quase 50% de metal, ter uma interface cerebral, não conseguir ruborizar e nem chorar, mas seu coração é frágil, e tudo o que sempre quis é ter carinho e ser tratada como uma jovem humana e normal!! Ainda bem que ela tem Peony, sua doce irmã mais nova, e a androide mais engraçada que deseja ser bonita e é sua grande aliada, a Iko!!

Num belo dia, no mercado, quando Cinder estava desastrosamente esperando Iko trazer seu pé novo (sim, ainda é estranho rs), um estranho encapuzado lhe visita e solicita um trabalho especial, mega rápido e sigiloso. Ninguém menos que o lindo e maravilhoso Príncipe Kai, futuro imperador da Comunidade *surta porque esse príncipe é O DELICIA TUDO DI BOM NESSE LIVRO QUE ME FEZ SUSPIRAR MUITO*

Príncipe Kaito, Kai para os mais íntimos é o solteiro mais disputado de Nova Pequim, quiçá de todas as nações da terra... Na verdade, incluirei ai Luna, um planeta (a Lua, dããã) habitado por uma espécie misteriosa e que muitos afirmam terem poderes mágicos, inclusive uma rainha perversa que pretende entrar em guerra contra a terra se não for atendida em breve... O seu desejo?!?! Casar com o bonitão =p

A lua vagarosa chamou a atenção de Cinder, e uma onda de arrepios cobriu seus braços. A lua sempre lhe causara certa paranoia, como se as pessoas que morassem lá pudessem estar observando-a, e tinha medo de que, se olhasse por muito tempo, pudesse atrair a atenção delas. Uma superstição sem sentido, mas tudo a respeito dos lunares era misterioso e envolto em superstições.

To indo rápida demais?!?! Contando muitas coisas?!?! Então respira, porque tem mais...

Cinder, obviamente não consegue ser imune ao charme do príncipe, por mais que queira. Aliás, mesmo ter pagado aquele king kong ao conhecer ele, ela deseja mais que nunca consertar o androide dele o mais rápido, só assim poderia vê-lo novamente. Mas o que ela não esperava era que o simples fato do príncipe ter ido ao mercado naquele dia, e entregá-la aquele androide tutor velho, teria levado a tantas mudanças em sua vida.


Ele era o sonho de todas as garotas no país. Estava tão longe de seu alcance, de seu mundo, que ela deveria ter parado de pensar nele no instante em que a porta se fechou. Devia parar de pensar nele imediatamente. Nunca deveria pensar nele de novo, exceto talvez como cliente – e seu príncipe.

Primeiro, sua doce e fofa irmã Peony, que estava empolgada com o baile do final da semana no qual atenderia com um vestido lindamente trabalhado (está familiar a história já?!?!) acaba adoecendo e sucumbindo à Peste... Lembra lá no início quando mencionei as doenças incuráveis, então o planeta é assolado pela Peste, uma doença que até hoje cientistas mesmo com todos os aparatos tecnológicos, não conseguiram desenvolver uma cura.

Com sua irmã doente, a madrasta a culpando por tudo, e sua vontade fugir, Cinder ficará dividida entre a paixão, as obrigações e o medo. Ela não é apenas uma menina, afinal ela é um ciborgue, e de certa forma é especial.

Seria ela capaz de entender toda a trama misteriosa que a cerca e os diversos problemas da Comunidade que pareceram piorar nos últimos dias, como a doença de Peony, a visita do príncipe, o baile e a corte Lunar por perto?!?!

Ela estava contente que lágrimas não revelariam sua humilhação. Contente que nenhum sangue em seu rosto revelaria sua raiva. Contente que seu odioso corpo de ciborgue servia para alguma coisa enquanto ela se agarrava a sua dignidade despedaçada.

Marissa Meyer nesse romance de estreia conseguiu criar um ambiente de tirar o fôlego. Combinando o famoso conto da Cinderela à uma trama envolvendo robôs em uma distopia, Meyer (quase morri com o sobrenome rs) se consagrou como uma autora de sucesso. Sua escrita é leve, engraçada e seus cenários são impecavelmente descritos. Seus personagens são muito bem fundamentados, desde Cinder, com suas tiradas e seu jeito de menina abandonada, até a famosa corte lunar da rainha Levana, aquela bitch do mal que to torcendo para um fim super desprezível, rs.

O único pecado da autora foi logo no início de sua narrativa onde dá detalhes muito precisos para a solução do grande mistério da Cinder, coisa que se torna muito óbvia e apenas a personagem não conseguiu perceber...

Enfim, uma distopia com misto de conto de fadas, e aquele “Q” de princesa da Disney <3 Mas calma, se você vai iniciar a leitura pensando em um mundo cor de rosa, e nuvens coloridas ao redor da personagem, então pode ir tirando o sapatinho de cristal do caminho, pois algumas cenas são bem tensas!! Principalmente quando falam da Peste. Como eu disse, em alguns momentos foi bem realista, e me fez crer nesse futuro possível da humanidade!!

Há cento e vinte e seis anos, o pesadelo e a catástrofe que foi a Quarta Guerra Mundial acabou, e a Comunidade Oriental nasceu. Ela cresceu a partir da unificação de muitos povos, muitas culturas, muitos ideais. Foi fortalecida por uma única crença persistente que juntos, nós, como um só povo, somos fortes. Temos a capacidade de amar uns aos outros, não importando nossas diferenças. De ajudar uns aos outros, não importando nossas fraquezas. Escolhemos a paz em vez da guerra. A vida em vez da morte. Escolhemos coroar um homem para ser nosso soberano, nos guiar, nos apoiar. Não para governar, mas para servir.


Claro, que nossa queridinha Editora Rocco não poderá demorar a lançar Scarlet (próximo volume das Crônicas Lunares) porque eu simplesmente não aguentarei a espera!! PELO AMOR!! Preciso descobrir o que acontecerá agora *rói todas as unhas em desespero*

E vocês, babes?!?! O que acharam da minha Resenha surtada (sentiram falta?)?!?! E da história da nova cinderela?? E do ambiente distópico?? Venha e deixe sua opinião *---*


::~::~~:: Promoção ::~~::~::



Gostou da premissa de Cinder?? Ta curioso(a) sobre a como a história se desenvolve?? Ta doido(a) por um exemplar só seu e ainda levar uns 15 marcadores fofos para casa??

Então tá esperando o que para participar de mais uma #Resenha#Premiada?!?! Corra e venha participar e concorrer a esse prêmio <3

Em parceria com a Editora Rocco, que me cedeu o exemplar para resenha, estamos sorteando 1 exemplar de Cinder para vocês *--* =>> Então, amores, Aproveitem

O sorteio será pelo Rafflecopter =)

Atentem-se para as regras e as chances extras!! Não vá perder o prêmio por deslize #FikDik

a Rafflecopter giveaway


Boa Sorte


Deixe um comentário

I hope you feel at home when you visit me!!

Please don´t forget to comment on the posts, your opinion is truly important and makes me happy!!

;D

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...